Por Leclerc Victer


Sinto falta de drama, admito.

Acho que hoje falta profundidade e sobra superficialidade – sobram “clichês”.

Participando de reuniões, ouvindo pessoas, nos cultos e nas músicas, percebo – e essa é a minha impressão, a minha leitura – que as coisas não são muito verdadeiras; são meio fake, meio fora da realidade. Às vezes, chego a pensar que muitos gostariam de igrejas e comunidades que fossem rotas de fuga, com uma realidade paralela. Comunidades que pudessem tirar-lhes os pés deste mundo por um tempo e levá-los a outro mundo, como “Nárnia”. Não seria bacana? A porta do armário que se abre na obra de C.S. Lewis o levaria a uma realidade que não é a sua, ou seja, a uma nova aventura.

Agora pense: Jesus é Deus conosco. “O Verbo virou gente e habitou entre nós” (João 1.14). Não fomos transportados para um lugar espiritual, nem para outro planeta, mas Deus veio à nossa vida, ao nosso chão. O carpinteiro veio respirar o mesmo ar que respiramos, e compartilhou do pão, da faxina do dia, do trabalho da semana, do estresse da mãe, do quadro do professor, da luta pela sobrevivência de tantas e tantas pessoas, todos os dias, um dia de cada vez. Nesse sentido, a Bíblia, a Palavra de Deus, aponta para a nossa realidade, para você e para mim, para as coisas que acontecem diante de nós.

Por isso admiro o livro de Ester.

É um livro que me fascina. Um livro de crise, um drama. Parece com a minha vida, com a vida dos meus amigos e dos meus irmãos. Uma história real que reúne personagens de verdade, tentando enfrentar uma realidade dura, repleta de desafios e dificuldades.

“Tá…” – você diria – “…mas onde está Deus nessa história?”

Lendo o texto, hoje, de longe, distantes das experiências dos personagens, olhando de fora, percebemos que no meio dessa crise toda, em meio a tanta dificuldade, Deus está agindo. Ele tem um plano, um plano que está em execução.

Ester não sabia, o rei não sabia, um monte de gente não conseguiu discernir, mas havia um plano sendo executado por Deus. É uma história dramática, tensa, de conflitos, frustrações e decepções. Há também uma história de amor nascendo ali, um romance. E tudo isso acontecendo ao mesmo tempo. Vidas entrelaçadas, caminhos que se cruzam, histórias que envolvem pessoas. E por trás de tudo há uma ação divina, um braço de Deus que aponta para um final vencedor, redentor.

Deixa eu pensar melhor: há coisas acontecendo, muitas, mexendo com a gente, com as emoções e com as pessoas que amamos. Coisas boas, coisas ruins. Momentos de vitória, outros de derrota. Às vezes estamos tão envolvidos nessa roda viva que nos sentimos sozinhos, cansados, desanimados. Não tem Nárnia, não há Terra Média, não iremos para a Terra do Nunca. Podemos participar de um culto muito edificante e nos alegrar ao máximo, só que no final voltaremos à vida real. E esse é um cenário que se parece muito com a minha vida.

Ainda bem que a Palavra de Deus é luz. Ela ilumina os nossos olhos e traz esperança ao nosso coração. A Bíblia mostra no livro de Ester que Deus tem um plano em execução, que está agindo.

Então… Que tal se eu e você encarássemos a realidade com mais coragem? Os problemas são reais, estão bem aí diante de nós, mas há esperança. Deus está agindo em nossa vida de verdade porque ele é um Deus de verdade.

Sei que gostamos de declarar coisas do tipo: “nada vai me atingir, eu creio…” ou “…eu profetizo agora que toda a minha vida é abençoada…” ou ainda “…não aceito isso”. Essas frases e orações muitas vezes são um grito da nossa alma, manifestam nosso sincero desejo por mudança, por cura e transformação. E desejar o melhor é um sentimento legítimo. Entretanto, isso pode gerar grande frustração e amargura diante dos fatos, diante das coisas como elas realmente são.

Então, quero motivar você a começar o dia de hoje encarando a sua própria realidade. Não a realidade que queremos, mas a realidade que de fato vivemos.

Em seguida, lembre-se que Deus está governando e sempre tem um plano em execução.

Você pode pedir a Deus: “Guie-me o teu bom Espírito por terreno plano” (Salmo 143.10).

E a Palavra do Senhor sempre dirá: “Eu o instruirei e o ensinarei no caminho que você deve seguir; eu o aconselharei e cuidarei de você” (Salmo 32.8).

————————————-

edição de Hedinene Rocha
revisão e supervisão de Gláucia Victer