O conhecimento incomoda. Ensinar, esclarecer, acabar com dúvidas… Tudo isso incomoda.

Lembro de uma aluna do curso de teologia. Todas as semanas, quando eu entrava na sala, ela falava bem alto para que todos os colegas ouvissem: “Chegou o destruidor de sonhos!”. E a cada ensinamento, à medida que mitos e conceitos errados eram desconstruídos, ela demonstrava mais insatisfação. Sempre enjoada, tinha reações agressivas para defender suas convicções.

O processo de aprendizado “bagunça” com a gente. O conhecimento denuncia a nudez do rei, enquanto as pessoas estão anestesiadas, vendo roupas onde não há, vendo coisas onde não há, e ainda se achando mais inteligentes e mais espirituais…

Uma das principais falácias no segmento religioso, seja nas comunidades, seja nas salas de aula dos seminários teológicos, é atribuir ao teólogo, ao mestre e ao pregador que luta pela verdade o estigma de uma pessoa ressentida, magoada, arrogante, revoltada… Pior do que isso: dizer que essa pessoa não é piedosa, mas é carnal e “fria” (porque não tem poder nem goza de profunda comunhão com Deus). Não gosta de orar, não tem fé, não gosta de fazer missões, não acredita em milagres, enfim: é um perigo para a comunidade dos fiéis, porque a letra mata…

Muitas pessoas têm medo do conhecimento.

Algumas possuem uma visão romântica da fé e da vida cristã, atribuindo tudo à emoção. Para um grupo bastante significativo de cristãos e líderes, se a experiência individual é genuína, não pode ser tocada, nem questionada, muito menos analisada. A experiência pessoal torna-se, portanto, norteadora da fé e da caminhada para toda a vida. Depois, a experiência individual é repassada para outros como uma espécie de “norma” ou “regra”. Vira método. É retransmitida como se fosse um padrão. Antes era apenas uma experiência, mas logo vira uma doutrina oficial e aceitável.

Há um outro grupo de pessoas, no entanto, que teme o conhecimento porque a luz se torna uma pedra no sapato, um verdadeiro obstáculo à manipulação. Quanto menos as pessoas souberem, mais facilmente serão controladas. O conhecimento se opõe a modismos e ensinamentos que levam milhares de cristãos a fantasias místicas e subjetivas; heresias e expectativas erradas que produzem um culto falso para um deus que não existe, falando de promessas que a Palavra de Deus nunca fez, garantindo resultados que as Sagradas Escrituras jamais apregoaram.

Por isso o exercício ministerial do ensino sempre encontrará oposição e resistência.

Então a pergunta é: você tem medo do conhecimento? Prefere confiar, sem questionar nada? Acredita em tudo o que ouve, mesmo sem fontes, textos bíblicos, referências ou informações que comprovem o que se diz? E as demais comunidades cristãs: estão todas erradas? E os dois mil anos de cristianismo: todos estão equivocados? Só agora, nos dias atuais, o Espírito Santo de Deus realmente mostrou a verdade aos líderes e pastores das comunidades cristãs?

Pense.

“Transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Romanos 12:2).

Infelizmente, o exercício ministerial contemporâneo enfatiza o prático e o experimental, deixando de lado o teológico e o doutrinário. O resultado é terrível: um número incontável de cristãos que sabem pouco ou quase nada sobre a Bíblia. Líderes e crentes que não sabem explicar a própria fé, nem sabem transmitir o que acreditam para que outras pessoas possam servir a Jesus.

Romanos 12.2 ensina que qualquer estratégia de pastoreio ou programa de discipulado deve atingir em primeiro lugar as nossas mentes, comunicando os ensinamentos de Deus que estão nas Escrituras. A Palavra de Deus é luz. Ela pode remover todo pensamento errado, nos dando uma cosmovisão bíblica com todas as suas implicações. É o conhecimento bíblico que nos dá discernimento espiritual. Na verdade, só a Palavra de Deus nos dá discernimento espiritual.

Portanto, toda resistência ao conhecimento é, na verdade, resistência ao Evangelho. Porque rejeita a maneira bíblica de alcançar maturidade e crescimento espiritual.

Você tem medo do conhecimento?