A pobreza teológica e bíblica nas letras das músicas mostra o quanto a “inspiração” de muitos autores é vazia. Afinal ninguém pode falar do que não vive nem experimentou. Por isso tantos músicos não oferecem o que as pessoas precisam na essência, mas só conseguem produzir canções que satisfazem superficialmente…